TERAPIA TRANSPESSOAL

Nenhum problema pode ser resolvido
pelo mesmo grau de consciência que o gerou.
– Albert Einstein

 

Transpessoal significa literalmente “que está além do que é pessoal” – significa estender o olhar para além da visão limitada do pessoal e da personalidade, do cognitivo – num único sentido, do puramente racional ou do material. A terapia transpessoal é um convite a alargar este sentido de perceção individual, do mundo e dos outros.

Assim, para as questões essenciais, será necessário alterar a consciência que temos dessas temáticas e, consequentemente, de nós mesmos.

Aplicam-se para isso, estados de consciência que transcendam o conceito de “individual”, facilitando ao cliente o acesso a níveis de consciência mais alargados, com novos e mais amplos insights sobre si mesmo e o universo em que vive. Esta transcendência é acima de tudo da mente lógica a que estamos habituados. As emoções são a ponte, e a atitude meditativa, que permite criar um Observador neutro e compassivo, é a peça fundamental deste processo.

 

Nada se força. É um convite gentil à compreensão alargada.

Na terapia incluem-se procedimentos não-farmacológicos, tais como as práticas de meditação, música, constelações, exercícios de respiração e outras abordagens que permitem a direção a uma esfera mais criativa, mais espiritual e ao mesmo tempo mais presente e humana.

O êxito desta terapia decorre do novo paradigma quântico permitindo a fusão entre o ego e os arquétipos, resgatando o ser como um todo, na sua dimensão biopsicossocial e espiritual. Dá ênfase à força do sagrado, essencial para o processo simbólico da individuação.

Apresenta-se assim inserido num sistema terapêutico que possibilita acompanhar o cliente nas suas crises emocionais, e através de um processo de conscientização fazer renascer um novo ser dentro do ser, mais criativo, mais autêntico, mais livre e mais feliz.